quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Entrando no Brasil

Direto do pedal:

Desde o dia 5 de janeiro que entramos "en tierras hermanas", a partir do Paraguai e depois de rodarmos por Argentina, entramos no Uruguai, e hoje dia 19 de fevereiro de 2007, uma segunda-feira, estamos entrando no Brasil de regresso ao Ceará. Chegamos em Aceguá-RS, onde o Uruguai se limita com o Brasil. Aqui não sabe quem é brasileiro ou uruguaio, todos falam o castellano e o portugues. Daqui vamos ver uma experiência em candiota, onde tem um trabalho feito com sementes crioulas pela Bionatur do MST. daqui até lá dar em torno 50 quilõmetros. Depois daremos mais detalhes.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

Ciclovida voltando

Direto do pedal:

(...) está tudo bem aqui, só não está melhor porque temos que ir. A viagem começa seu retorno. Segunda-feira devemos está voltando (...). [No Rio Grande do Sul,] veremos experiências de sementes crioulas da Bionatur, uma empresa no ramo, do MST.

Passamos uns dias distantes de internet, estávamos num plantio de hortas do MTD Solano. Este é um terreno de 3 hectares, ocupado pela comunidade, fica há uns 15 Km de distância da comunidade, onde sempre fica pessoas se revesando, e nós (Inácio e Ivânia) ficamos lá por uma semana trabalhando na Horta da Comunidade.

No último dia, sexta-feira (02-02-2007) a noite, fizemos uma despedida, onde colocávamos um pouco das nossas impressões sobre aquela realidade. Ele estão querendo manter-se relacionando com a terra, apesar de terem uma realidade muita urbana que é Buenos Aires. Estão também muito dispostos a fazer da forma mais sustentável possível para o ecossistema biodiverso, é por isso que quiseram nos ouvir, e foi por isso quisemos ficar uns [dias] nesse campo.

Visitamos também, assim que chegamos, um hotel 4 estrelas no centro de Buenos Aires, onde nos ofereceram uma dormida por uma noite sem pagar. O preço de uma noite é de R$ 400,00. Este foi recuperado pelos trabalhadores e auto gerido pelos mesmos. Logo logo escrevo mais, nos chamam para o almoço.